A memória impermanente

«Talvez criar não seja mais do que se lembrar profundamente.»

~ Rainer Maria Rilke

Ao coar a luz
pelo crivo fino da
impermanência
lembrei-me do encantamento
do vento no prado verde oscilante.

A criação como um acto de memória.

[Recriação de um momento de um museu imaginário de Inesa Markava, no MIMO – Museu da imagem em movimento]

Sedimentos, 20 de Junho de 2021, Carla de Sousa

Share This